Você é o que você cozinha

Por que ir ao mercado comprar um tempero que vem do Norte se posso pegar o mesmo na horta do lado da minha casa? É por essas e outras que os produtores locais se tornaram os novos xodós da cozinha!

Antigamente um Chef bom era um Chef que usava em seus pratos produtos exportados, hoje o jogo virou e cada vez mais cozinheiros renomados e consumidores têm buscado produtos mais próximos geograficamente, ou seja, pequenos produtores, em pequenos sítios e hortas.

Como já vimos aqui a “modinha transformadora”, já é uma realidade. A busca por valorizar o alimento bom, limpo e justo fez com que o pequeno produtor local se tornasse o queridinho dos Chef de cozinha Michelin até os Chefs de família. Esse movimento está acontecendo pelo incomodo dos consumidores sobre o poder das grandes industrias fornecendo produtos cada vez mais artificiais, em larga escala e poluentes, inclusive no transporte.

O sustentável ganha espaço e a conscientização de comprar produtos regionais, a buscar por alimentos não convencionais, diferentes, mais saudáveis, mais adequados ao ambiente  é o que agrega valor para esse mercado. Além disso, o consumidor tem levado em conta a importância da agricultura familiar e o incentivo ao crescimento da economia local.

O pequeno produtor é tão relevante para esse target que a partir dele surgiram alguns movimentos como farm to table (da fazenda para mesa) e o slow food (comida lenta). Ambos priorizam os produtores locais, sazonalidade dos alimentos e atenção ao solo.

Além desses movimentos o reconhecimento da agricultura familiar local impactou Chefs de cozinha, estabelecimentos e até a tecnologia! Ficou curioso? Calma que separamos alguns exemplos food(as) para quem tem fome de sustentabilidade!

Chefs

O estrelado Chef Dan Barber do Blue Hill em NY, é um dos defensores do conceito farm to table, e até lançou um livro para falar sobre isso, o “Terceiro Prato”. Além disso é protagonista de um dos episódio do Chefs Table no Netflix, onde você pode conhecer a sua própria fazenda, seu restaurante que só tem produtos da mesma e sua filosofia de conexão com os alimentos! Aqui no Brasil muitos Chefs tem seguido esse movimento, como o Rafa Costa e Silva do Lasai que também cultiva seus próprios alimentos!

 

Estabelecimentos

O supermercado Zona Sul ganhou Cannes no ano passado em parceria com a WMcCann, ofereceu gondolas com alimentos plantados, frescos, de produtores locais e por meio de processos sustentáveis. Outro segmento são as feiras de pequenos produtores que estão cada vez mais frequentes pelas cidades, como a Junta Local, que acontece duas vezes por mês no Rio de Janeiro.

 

Tecnologia

É claro que a tecnologia tinha que estar por dentro dessa realidade sustentável! Nesse ambiente existem vários sites e plataformas para tornar o produtor local mais acessível. Em sua maioria o objetivo aqui é criar conexões como o site RAIZS o que é um ponto de contato entre o consumidor e o pequeno produtor, que muitas vezes tem dificuldade de vender seu produto. Com foco em aproximar essa relação foi criada com fotos ou cartas escritas a mão, fazendo com que o consumidor saiba exatamente de onde veio o alimento, quem o plantou e quem o colheu. A parte social também está presente no site Saladorama o pequeno produtor vive em uma comunidade e foi preparado para ser um pequeno produtor, assim além de fomentar o mercado transforma a vida de quem precisa de um caminho!

 

REFERÊNCIAS: UPDATE OR DIE; SLOW FOOD BRASIL

IMAGENS: PINTEREST

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: