A “modinha” transformadora

Para uns é exagero e para outros um estilo de vida. A única certeza é que o comportamento do consumidor muda e suas escolhas alimentares também. Modinha? não, um novo perfil mercadológico. 

O número que tem de gente por ai querendo se alimentar de produtos naturais, locais, frescos, artesanais, aqueles sem conservantes, corantes e químicas, só aumenta. Tendência que virou “modinha” e hoje já é realidade. O comportamento do consumidor muda e os negócios vão junto. Isso tudo acontece pelas transformações sócio-culturais e de mercado, como por exemplo o aumento da conscientização sobre alimentação saudável, a procura de produtos que tragam este tipo de beneficio ou até mesmo a busca pelo corpo perfeito. 

Esse mercado ganhou seu devido valor pelas necessidades causadas por essa vida corriqueira que levamos e suas consequências, como estresse, danos ao corpo e ao meio ambiente. É por essas e outras que essa galera natural vem ganhando espaço e seus principais representantes são alimentos funcionais e orgânicos.

Com tanta gente adotando esse lifestyle verde, o segmento cresceu, possibilitando o surgimento de novos empreendimentos diversificados e cheios de saúde. Então separamos alguns exemplos food(as) dentro dessa categoria para quem se preocupa com alimentação limpa não botar defeito!

1 –  Produção Local e Feiras

A filosofia de seguir uma dieta limpa, impactou diretamente na oferta e demanda de produtos para esse mercado, pois a escala de produção é pequena e a procura cada vez maior. Essa dificuldade de acesso aos alimentos desencadeou ao consumidor a necessidade de fazer com suas próprias mãos. O burburinho em torno do pequeno produtor cresceu, além de ser saudável e passar confiança, passa pela questão ecológica. Menos transporte, menos combustível, menos desmatamento, menos poluição e por ai vai! As feiras surgiram para confirmar essa tendência, comparando com o mercado o produtor local é uma start up e a feira sua aceleradora! Vem dando tão certo que a feira Junta Local foi responsável pelo ponta pé inicial de vários produtores locais consolidados no mercado como a padaria Slow Bakery e a cervejaria Hocus Pocus.

2- Mercados

Preferência pelo natural também foi percebida pelos supermercados. Foi por isso que o mercado Metro na Alemanha criou um espaço destinado à estufas onde planta temperos fresquinhos para venda. Aqui no Brasil o Eatly além de mercado é um lugar para comer e aprender, fornecer produtos frescos, restaurantes e aulas. 

2 – Orgânicos

A procura por alimentos orgânicos não é mais um diferencial e sim o básico! A obrigação de ter produtos orgânicos acarreta a criação de nichos de mercado, como o primeiro Pomar to Go, um pegue e pague com receitas orgânicas, low carb e raw food da chef Andrea Henrique. Já a rede Pão de Açucar lançou uma linha de produtos orgânicos, Naturalia e ela deu tão certo que estenderam a linha, criando a Naturalia Vegan.

3 – Fast Food

A primeira rede de fast-food vegetariana já é uma realidade! O brazuca Hare Burguer está há 12 anos no mercado mostrando que o junk pode ser saudável!

4 – Delivery

Em qualquer hora, em qualquer lugar! O desejo de seguir o lifestyle é tão grande que o torna uma necessidade diária. Por isso, existem empresas especializadas na entrega de marmitas e produtinhos naturais, como o Horta-D e a Eat Clean.

5 – Sem desperdício 

A pegada natural também tem seu valor ecológico. O Olivia Saladas, além de ter unicamente ingredientes naturais, se preocupa com o desperdício. Seu delivery é com marmitas retornáveis para não produzir nadinha de lixo para o meio ambiente! 

REFERENCIAS: UP DATE OR DIE, BIBLIOTECA DIGITAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: