Ninguém quer café frio

Já pensou em falar com uma marca e ela te responder na hora?  E se ela colocasse a mão na massa para conseguir sua atenção em uma postagem na sua conta pessoal do Twitter?

Prepare-se para descobrir como empresas estão jogando com o tempo a seu favor!

Seja para se aproximar do consumidor ou causar burburinho, o real time marketing está cada vez mais presente nas estratégias de comunicação das empresas.

Há quem diga que real time é velocidade, mas não é só no impulso que as marcas apostam. O planejamento é tão importante que muitas delas criaram equipes especificas para essa área do digital, como a Coca-Cola que tem um time para monitorar todos os assuntos do momento. Para essa massa dar liga, o segredo é ter uma equipe bem próxima a gerencia, aproveitando a rapidez do momentos.

Que tal uma receitinha de como atacar nesse cenário?

1)Uma pitada de agilidade: resposta em tempo real

Responder rapidamente a um pedido, pergunta ou até mesmo um pensamento do consumidor é essencial para dar aquela incrementada no valor da marca. É assim que empresas conseguem reforçar seu tom de voz e caráter. Um exemplo bacana é o da maionese Hellman’s. A marca passa a mensagem de se preocupar com o consumidor e ser aquele item sempre presente na geladeira. Para unir a proposta da marca com o real time, a Hellman’s criou o WhatCook, que em português significa o que cozinhar, onde consumidores entram em contato via WhatsApp para receber receitas personalizadas e instantâneas de acordo com o que tem na sua geladeira.

2) Acerte o ponto: pontualmente

Eventos como Oscar e Eleições e datas comemorativas podem favorecer o planejamento e matar seu apetite de real time. Agora não adianta ficar antenado nas datas, mas errar no tom de voz! A Coca-Cola acertou e na ultima Copa do Mundo,  3 horas depois do jogo em que o Brasil perdeu de 7×1 para a Alemanha, postou uma latinha com um canudo e um nó, se referindo ao nó na garganta que foi vivenciar o jogo.

3) Produção em massa: base em analise de dados

Estava achando estranho a gente chegar até aqui falando sobre mídias sociais e não falar de Big Data? Pois é, ele chegou! Baseado em analises de base de dados gigantes, onde crescem mais rápido que os segundos, profissionais de marketing decidem qual assunto será abordado no momento.

Um exemplo FOOD(A)

A barra de chocolate Sneakers criou o Hungerithm, o algarismo da fome, onde mediu o nível de estresse e ódio de seus clientes pelas redes sociais em tempo real e converteu em descontos. E não é que a marca, além de entrar em contato com o cliente pelo ambiente online, conseguiu converter uma galera para o offline?!

Viu que as marcas são cheias de segundas intenções e cálculos para nos conquistar?

REFERÊNCIAS: ÉPOCA, MEIO E MENSAGEM, ADNEWS 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: