É possível ser feliz sozinho… e comer também!

Você considera o ato de comer fora algo unicamente social? Você precisa de companhias pra experimentar um prato novo? Vamos rever esses conceitos!

Muitas vezes deixamos de fazer algo pela famosa falta de companhia. Tantas oportunidades vão passando por isso, inclusive novas experiências gastronômicas.

Sim, é uma delícia uma mesa cheias de pessoas. Uma delicia de ver e de estar, mas não muda o fato que degustar um alimento é um ato solitário. Apenas a pessoa vai sentir determinado gosto, certo? sua percepção é única. E embora outras mil pessoas estejam em volta, é uma experiência altamente particular.

O mercado vem quebrando paradigmas e inovando em seus serviços, é que foi percebido uma oportunidade e tanta, existem diversas pessoas que amam comer, conhecer restaurantes, bares etc e não tem companhia num determinado momento, amigos ocupados, viagem de trabalho, divórcio, ser novo em uma cidade… enfim dá pra ficar aqui por dias tentando perceber momentos sozinho.

Vamos lá, independente do motivo, quem não quis sair e acabou desanimando pela falta de um acompanhante que atire a primeira pedra. 

O Eenmaal se intitula o primeiro restaurante do mundo com mesa para apenas uma pessoa. Olha seu estilo:

O restaurante tem sua base em Amsterdã, mas já teve lojas ”pop-ups” em lugares como Nova York e Londres.

Claro, talvez não seja um caso de empreender um restaurante exclusivo mas , quem sabe, um espaço mais aconchegante? Até porque a questão não é afastar, mas agregar pessoas de maneiras singulares. Alguns lugares que já perceberam essa necessidade:

Mc Donald’s
BubbleDogs – Londres
Pabu Izabaya -Rio de Janeiro

Muitas casas oferecem pratos que são apenas pra dividir, porções muito grandes, sobremesas enormes e isso afasta uma gama do público. Por que não também ter um menu com porções menores?

Cada dia mais quebramos o preconceito, é possível jantar fora sozinho e cada restaurante pode ( e deve) se adaptar a isso da forma que mais se enquadre as suas características. 

Se analisarmos esse comportamento, ou atitude, um cliente que vai sozinho é um cliente que ama a comida servida. Tá lá é pelo simples prazer de degustar um prato amado. Não foi por obrigação de um encontro ou aniversário, por exemplo. É ou não um cliente que merece um tratamento especial?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: