Marketing sensorial: sentidos além do prato.

Quando pensamos em gastronomia o paladar é o sentido mais lembrado, óbvio! Mas nossa visão, audição, olfato e tato também podem ser estimulados pra fazer uma escolha. Sim, a escolha por um restaurante, um prato ou um produto.

Já ouviu falar de marketing sensorial? Conjunto de ações não-verbais que estimulam a percepção e/ou consumo de uma determinada marca ou produto.

Pra começarmos a entender esse mundo, vamos falar de uma ação muito food(a) da Dunkin’ Donuts na Coreia do sul. A marca instalou difusores em ônibus com o aroma de seu café. O cheiro especial era disparado no exato momento em que a propaganda da Dunkin’ Donuts tocava na rádio interna do ônibus.

Então, as pessoas com aquela sonolência matutina eram despertadas pelo olfato conectado ao que estavam ouvido. As vendas aumentaram significativamente.

Tem um vídeo bem bacana explicando toda a estratégia e resultados. Dá só uma olhada.

O Marketing sensorial vai criar meios de atingir sentimentos íntimos do consumidor, despertando desejos e sensações.

E não é isso o que queremos provocar com a comida?

O restaurante The Fat Duck, na Inglaterra, ofereceu um prato chamado ‘Sound of the sea’ acompanhado de um Ipod (oi?). Sim, um Ipod dentro de uma concha onde o cliente poderia ouvir barulhos do mar enquanto degustava seu peixe. Diversas sensações e lembranças foram provocadas, que incrível! 

imagem do Google.

Os espaços dos restaurantes são perfeitos pra esse tipo de estratégia, o tato (dependendo do produto), a visão (quem não gosta de um foodporn que atire o primeiro brownie!), sentir aquele cheirinho de comida quase pronta, ouvir palavras agradáveis da equipe de garçons, se sentir ouvido, e claro, o paladar, nada como um gostinho de quero mais.

O Brasil precisa e pode investir muito mais em ações sensoriais. Os brasileiros gostam de se encantar pelas marcas. E, afinal, criatividade não nos falta, né?

E não podemos esquecer dos laços afetivos que podem ser criados com ações desse segmento. 

Pra ajudar nesse processo de descobrimento e investimento do marketing sensorial, seguem dicas de alguns livros:

Brandsense. Segredos sensoriais por trás das coisas que compramos. Por Martin Lindstron.

Neuromarketing – A nova pesquisa de comportamento do consumidor. Por Pedro Camargo.

Neuromarketing: o marketing das emoções. Por Werner A. Görlich.

Vamos transformar seu restaurante em um local de sentidos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: