Alex Atala e instituto ATÁ

Instituto ATÁ tem projetos que buscam melhorar a relação do ser humano com a natureza e os alimentos. “O fogo, com a arte e a ciência, é instrumento de civilização.”

Um dos chefs brasileiros mais reconhecido internacionalmente, Alex Atala, junto com outros parceiros interessados em uma mudança na a nossa atual forma de produzir alimentos, fundaram o Instituto ATÁ, nome que significa Fogo, em Guarani.

Esse instituto tem como objetivo mudar a relação do homem com o alimento, aproximando tanto o homem, quanto o comer e o cozinhar à natureza, de onde o alimento vem.

Manifesto do Instituto ATÁ:

A RELAÇÃO DO HOMEM COM O ALIMENTO PRECISA SER REVISTA.
PRECISAMOS APROXIMAR O SABER DO COMER, O COMER DO COZINHAR,
O COZINHAR DO PRODUZIR,
O PRODUZIR DA NATUREZA;
AGIR EM TODA A CADEIA DE VALOR,
COM O PROPÓSITO DE FORTALECER OS TERRITÓRIOS
A PARTIR DE SUA BIODIVERSIDADE, AGRODIVERSIDADE E
SOCIODIVERSIDADE, PARA GARANTIR
ALIMENTO BOM PARA TODOS E PARA O AMBIENTE.

ATA2

Para desenvolver essa mudança, o instituto atua com projetos pontuais em diferentes alimentos.

Retratos do Gosto é um projeto que tem como objetivo dar ao ingrediente um potencial gastronômico. Nele, o pequeno produtor vira o protagonista. Parte da receita gerada vai para projetos de pesquisa ou para estruturação do produto ou da região do produtor.

Servir Insetos é uma ação que foi inspirada nas formigas saúvas da Amazônia com sabor de Capim Santo. A partir de viagens, o chef Alex Atala apresentou as formigas para diversos cozinheiros que entenderam que ainda podem utilizar insetos em seus pratos. No entanto, a maior realização desse trabalho é fazer entender que existe uma cultura por trás das formigas e que é necessário fortalecê-la.

A Pimenta Baniwa Jiquitaia é outra ação do Instituto. A pimenta é produzida pelas mulheres Baniwa e foi feita em parceria com a OIBI (Organização Indígena da Bacia do Içana) e com o Instituto Socioambiental.

ATA 3

Carne Sustentável é um projeto que busca desenvolver uma carne que seja feita usando menos de 50% das áreas de pastagem com o mesmo número de bois. O objetivo é recuperar as áreas que foram degradadas e produzir de forma integrada os alimentos da região.

Baunilha do Cerrado é um projeto que busca domesticar a baunilha do cerrado que foi encontrada em forma selvagem. Dessa forma é possível estruturar um consórcio de famílias da área gerando uma receita à população carente.

O Mel das Abelhas Nativas é um projeto que busca regulamentar o comércio do mel das abelhas mansas. Além das características organolépticas, gastronômicas, o mel também tem usos medicinais, no entanto, não pode ser comercializado. Com a regulamentação, a venda pode gerar receita para a população carente e áreas desprotegidas, uma vez que as abelhas são indicadores de biomas saudáveis.

Esses são só alguns dos projetos do Instituo, outros projetos tem como protagonistas a mandioca, o mar, a piscicultura, a oleodiversidade brasileira e muitos outros alimentos.

O Instituto ATÁ é comprometido com o alimento, quem produz e quem consome, buscando gerar uma cadeia muito mais saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: