A fome de saúde alimenta o mercado gastronômico

Que a população está tomando consciência do poder de uma boa alimentação, nós sabemos. Inclusive, testemunhamos no nosso dia a dia. As academias estão lotadas, os calçadões repletos de pessoas correndo e as blogueiras fitness estão tomando conta do espaço publicitário.

Segundo um levantamento do IBGE existem 17 milhões de brasileiros obesos, o que afeta a maneira de viver e diminui a expectativa de vida da nossa população. Por isso, é bom saber que a nossa geração está mudando seus hábitos de forma positiva e, consequentemente, diminuindo esse número.

Para os que culpavam fast-foods e o estilo de vida corrido pela falta de cuidado com a saúde e beleza do corpo, já não podem mais dar essa desculpa. O mercado de comida saudável cresceu 95% em apenas 5 anos e continua crescendo mesmo no período de crise atual do país. A previsão é que até 2019, esse segmento movimente R$110 milhões, ou seja, cresça mais de 50%.

Na televisão brasileira, outro fato influenciador são os programas competições culinárias que estão invadindo as emissoras. Seja ele Masterchef, Masterchef Junior, The Taste Brasil, Bela Cozinha ou Hell’s Kitchen. Acompanhado pelo movimento Gourmet, esses programas estão criando nos espectadores a vontade de cozinhar, preparar, conhecer os alimentos e a origem deles.

Atrelado a maior aparição de chefs na TV, diferente de alguns anos atrás quando eles eram famosos pelas estrelas Michelin de seus restaurantes e conhecidos apenas pelo público de alta renda, o discurso que tem se propagado é o de saber o que você come.
Seja para se adequar aos padrões de beleza, por buscar uma vida mais saudável ou pelo puro sabor, os alimentos orgânicos estão sendo mais procurados e inseridos na cozinha de vários lares e restaurantes. Inclusive, eles são base para o storytelling de grandes marcas como o mercado orgânico Whole Foods nos Estados Unidos.

Para ilustrar esse crescimento de comida saudável no setor gastronômico, aqui no Rio de Janeiro, temos restaurantes como Pomar Orgânico, Universo Orgânico, Refeitório Orgânico, Naturalie Bistrô, .Org Bistrô, Celeiro, Vegan Vegan, Bio Carioca, Verdín e Juice Co.

No segmento de Shoppings, existem restaurantes de saladas especializados, como o GoFresh e Salad Creations, além dos restaurantes Balada Mix e as opções saudáveis do Joe & Leo’s e The Fifties.
No setor de sanduíches, grandes hamburguerias incluíram em seus cardápios opções veganas como o T.T. Burger, Comuna, Hell’s Burguer, SudBurguer, Pub Escondido e muitas outras. Existe também o Hareburger, especializado apenas em hambúrgueres vegetarianos. Para quem come carne, mas prefere um sanduíche mais leve, existem franquias do Subway por todo o Rio de Janeiro.

Além disso, os supermercados mais segmentados estão investindo na sua área de alimentos e sucos orgânicos, além de biscoitos saudáveis, como a marca Biscoitos Aruba que vem crescendo no Rio. Inclusive já falamos dela aqui.

Do lado de fora, nos Estados Unidos, nomes como o da rede Chiplote e o mercado Whole Foods são conhecidos por exaltar a origem natural dos seus produtos, e ambos têm crescido com grande aceitação entre o público americano.

Preparado para ingressar em um mercado onde o saudável também é seu concorrente? Ou então, investir no mercado saudável?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: